COMDES em Ação

Setembro de 2018

COMDES recebe CEO da Floripa Airport para reunião ordinária

Com pauta única voltada para as obras e o abastecimento de água, esgoto e energia elétrica para o novo Aeroporto Internacional de Florianópolis, o encontro mensal do Conselho Metropolitano para o Desenvolvimento da Grande Florianópolis – COMDES da última sexta-feira (31) recebeu o CEO da Floripa Airport, Tobias Markert, para explanar a atual situação do novo terminal de passageiros. Ainda estiveram presentes na reunião os representantes da Casan, Marcelino Aloir Dutra com o andamento para o abastecimento de água e esgoto para o local, da Celesc, Pablo Cupani Carena para explicar o fornecimento de energia para região e o Secretário de Infraestrutura, Paulo França, para anunciar a situação das desapropriações no entorno das obras. 
 
Uma das preocupações da concessionária Floripa Airport é o abastecimento de água e esgoto na região do novo aeroporto. De acordo com o gerente da agência de Florianópolis, Marcelino Aloir Dutra, a Casan preparou e isolou as instalações para o abastecimento de água para o local. O gerente ainda antecipou que por medida de prevenção terá três opções de abastecimento na rede, sendo elas por: Lagoa do Peri, Santo Amaro (sistema integrado) e via oficial de acesso. 
 
Outro ponto levantado na reunião foi com relação ao fornecimento de energia elétrica. Para explicar os detalhes da obra, o engenheiro da Celesc, Pablo Cupani Carena, apresentou que a alimentação de energia para o aeroporto sairá da subestação localizada no Sul da Ilha. Segundo o engenheiro, no local possui dois transformadores com potência suficiente para atender as demandas aeroportuárias. Ainda de acordo com Carena, o projeto está aprovado pela Celesc e no prazo de até 10 dias o contrato de ordem de serviço será assinado. O prazo para finalização das obras é de até 120 dias após o contrato ser assinado. “É um projeto relativamente simples, por isso entendemos que não teremos nenhum problema quanto aos prazos”, afirmou. 
 
Um dos maiores problemas que os executivos da Floripa Airport enfrentam é o imbróglio com as desapropriações para concluir o traçado da via de acesso. O secretário de Infraestrutura do Estado, Paulo França, anunciou os números e está otimista com o prazo. “A expectativa é finalizar os entraves administrativos com as desapropriações até 15 de setembro e entregar a via de acesso em julho de 2019”, pontuou França. De acordo com o secretário, os números são positivos com relação às desapropriações:
42 concluídas, 138 ajuizadas e 134 estão com depósitos jurídicos. Agora o foco é com as que estão com trâmite administrativo.
Após ouvir as partes envolvidas, o CEO da Floripa Airport, Tobias Markert, demostrou os sentimentos com relação aos entraves que vem enfrentando para que o novo aeroporto, desejado pelos florianopolitanos, possa operar 100%, incluindo o acesso a ele.
Sobre o acesso ao novo terminal, Markert foi categórico. “Parte do trajeto está pronto ou em obras, mas se o trecho crítico que falta não for finalizado, o acesso ao novo terminal e ao sul da Ilha será precário”, desabafou. Isso porque, a parte pendente compreende um trecho de 1,2 quilômetro de extensão chamado Lote 01-B, que liga os dois trechos atualmente em execução, do Viaduto Carianos até o Rio Fazendinha.
 
O único acesso existente ao novo terminal é pela SC-405, o que aumentaria o fluxo de veículos em pelo menos 25% na via. “Tenho certeza que podemos resolver todos esses impasses. Eu gostaria de tirar o foco desses problemas e pensar que devemos olhar para frente com um olhar para o futuro e entregar o melhor para o desenvolvimento da Cidade”, finalizou o CEO. 
 
A coordenadora do GT de Governança Metropolitana do Conselho, Zena Becker, enalteceu que o COMDES além de fiscalizar os temas relacionados ao aeroporto, também apoiará a concessionária para que tudo seja resolvido o mais breve possível.